CANTO DE CRAVO E ROSA (Release)

Canto de Cravo e Rosa é um espetáculo de teatro para crianças com uma estética que remete ao universo popular, com visual forte e multicolorido. O trabalho foi construído com base em formas populares de representação e em músicas extraídas do folclore brasileiro, com o objetivo de encantar, divertir e valorizar os laços de identidade existentes entre esses pequenos cidadãos e a cultura de seu povo. A encenação é repleta de acrobacias, cores e música. A utilização e a não utilização de máscaras, alternadamente, durante o espetáculo, possibilita um jogo extremamente lúdico entre artistas, personagens e público. As canções apresentadas são o elo de identificação entre diversas gerações que brincaram e se encantaram com as cantigas "O Cravo Brigou com a Rosa", "Atirei o Pau no Gato", "Pirulito que bate-bate, dentre muitas outras.

No decorrer da apresentação, são utilizados diversos instrumentos folclóricos de percussão, como o pandeiro, o tambor Ilu, o pau de chuva e o reco-reco-guampa-de-boi, entre muitos outros, assim como violões, flautas, cavaquinho, gaita e trompete.

O ambiente onde se desenrola a fábula é um jardim, no qual todos os bichos e plantas estão em harmonia. A música é a atividade que mais encanta a todos, e o Cravo e a Rosa são os cantores prediletos dos que vivem lá, já que, inspirados pelo amor que os une, cantam juntos as mais belas canções. No entanto, a Venenosa Senhora Aranhosa pretende tomar todas as atenções para si e tornar-se a grande estrela musical do jardim. Para impedir que a Rosa e o Cravo sigam cantando, Aranhosa resolve torná-los tristes e inventa uma intriga para acabar com o namoro deles. Ela engana o Sapo guloso e provoca a maior confusão, na qual acaba por envolver todos os outros moradores do jardim. A integração final do grupo promove a percepção de que todos saem ganhando se houver respeito à diversidade e se forem aproveitadas as habilidades de cada um em benefício do coletivo.

O espetáculo Canto de Cravo e Rosa foi financiado pelo FUMPROARTE, em 2007. Desde então, houve uma temporada na Sala Álvaro Moreyra (2007), outra no Teatro Bruno Kiefer (2008), duas no Teatro de Câmara Túlio Piva (2009 e 2010), três apresentações nas Feiras do Livro de Porto Alegre (2007, 2008 e 2009), bem como várias apresentações para diversas escolas, no Teatro do SESC/POA (na Semana da Criança, em 2008 e na temporada em 2010). O espetáculo foi apresentado também em duas turnês pelo interior do RS (2008 e 2009), promovidas pelo SESC, em doze cidades: Pelotas, Farroupilha, Caxias do Sul, Carazinho, Ijuí, São Borja (2008) e Gravataí, Lajeado, Santa Cruz do Sul, Cachoeira do Sul, Bagé e Rio Grande (2009). Em 2010, a peça também participou do projeto “Crescendo com Arte”, do SESI. Em 2011, Canto de Cravo e Rosa foi apresentado no Teatro Treze de Maio, em Santa Maria. Em 2012, fez parte da programação de MAIO: Mês do Brincar (evento realizado pelo Bando de Brincantes), com apresentações no Teatro Bruno Kiefer da CCMQ de Porto Alegre. No mesmo ano, a peça apresentou-se no teatro do SESC Gravataí e no SESI, no projeto “Brincando com Arte”. As últimas apresentações do espetáculo foram realizadas em 2014, no teatro do SESC de Porto Alegre e no Teatro Treze de Maio, em Santa Maria.

No dia 31 de dezembro de 2009, o respeitado crítico Antônio Hohlfeldt, em matéria publicada no Jornal do Comércio, elegeu Canto de Cravo e Rosa nas categorias a seguir: Melhor espetáculo; Melhor figurino – Raquel Cappelletto; Melhor direção musical – Toneco da Costa; Melhor atriz – Viviane Juguero e Melhor atriz coadjuvante – Ana Cláudia Bernarecki. O trabalho também foi indicado no Prêmio Tibicuera nas categorias Melhor Dramaturgia (Viviane Juguero), Melhor Direção (Jessé Oliveira) e Melhor atriz (Ana Cláudia Bernarecki).

No dia 10 de novembro de 2009 foi lançado o livro Canto de Cravo e Rosa, na Feira do livro de POA, pela Editora Libretos. Seu texto tem sido utilizado em projetos teatrais e educativos em diversos locais do Brasil. Em 2010, Viviane Juguero e Toneco da Costa, gravaram “Cantigas de Cravo e Rosa”, disponibilizando as canções no site do Bando de Brincantes.

Em 2014, o trabalho foi analisado na dissertação de mestrado de Viviane Juguero “Bando de Brincantes: um caminho dialético no teatro para crianças”, defendida no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAC / UFRGS).

Atualmente, o texto integra também os estudos de doutorado do professor de literatura Fabiano Grazioli, o qual publicou o artigo Canto de Cravo e Rosa, de Viviane Juguero: Apontamentos sobre dramaturgia e a criança leitora, nos anais do 5º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil, realizado em 2012, em Florianópolis, pela Universidade Federal de Santa Catarina.

site produzido por metamorfose - agência digital